Sinttromar solicita direito de resposta para imprensa

“No dia 12 de fevereiro, uma passageira de ônibus da TCCC fez uma postagem em uma rede social denunciando ter sofrido um suposto assédio por um motorista do ônibus que ela estava. Segundo informações obtidas pelo Sinttromar, a própria Delegacia da Mulher não registrou boletim de ocorrência, pois considerou que não houve assédio por parte do motorista.

Mesmo não havendo fato para uma possível notícia, diversos veículos de comunicação maringaenses divulgaram a denúncia da usuária, o que causou transtorno para o motorista e seus familiares. O motorista não foi ouvido pela imprensa, mesmo sendo considerado inocente no caso.

O Sinttromar é totalmente contra qualquer tipo de assédio e defende o direito das passageiras e passageiros de buscarem justiça quando sofrem qualquer tipo de ameaça dentro do ônibus. Porém, muitas vezes os trabalhadores do transporte coletivo deixam de ser ouvidos quando se tornam as vítimas em determinadas situações. Sabemos da importância da Delegacia da Mulher na vida das maringaenses e confiamos no juízo feito por ela nesses casos. Assim, já que não houve crime, solicitamos um espaço em cada meio de comunicação que veiculou a notícia para ouvir o motorista denunciado ou a diretoria do sindicato, que é a legítima representante dos trabalhadores.
Agradecemos a compreensão,
Diretoria do Sinttromar”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × um =