Sinttromar garante na Justiça discussão do dissídio coletivo da TCCC

Contra a vontade das empresas TCCC (concessionária do transporte coletivo urbano) e Cidade Verde (transporte metropolitano), o Sindicato dos Motoristas Rodoviários de Maringá (Sinttromar) garantiu na Justiça a discussão do dissídio coletivo para a data-base da categoria. A audiência de conciliação foi marcada para 23 de julho, na Justiça do Trabalho.

Clique na imagem para ver o panfleto entregue na base

Na Campanha Salarial 2020, o Sinttromar luta pela renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), com todos os direitos já adquiridos; pela abertura das negociações (conquistada na Justiça); pela garantia do pagamento da Participação dos Lucros e/ou Resultados (PLR); e por melhorias nas condições de saúde e segurança da categoria. As quatro pautas foram aprovadas na assembleia realizada pelo sindicato, dia 22 de junho, no pátio anexo ao Terminal Intermodal.

Para a diretoria do Sinttromar, em vista das dificuldades que a empresa tenta impor às negociações, fica evidente que os patrões querem – usando a pandemia do novo coronavírus como pretexto – jogar a conta da crise para os trabalhadores. “Quando se trata dos lucros eles não querem socializar com a categoria”, diz o presidente Ronaldo José da Silva.

Outra situação que fica evidente é a importância de um sindicato aguerrido, de luta, com dirigentes comprometidos com as causas dos trabalhadores. Fosse uma “chapa dos patrões”, muito provavelmente benefícios como ganho real nos salários, a “pegada única”, o vale-alimentação e o PLR já teriam sido retirados. Também não haveria um jurídico forte e combativo.

Acima, o panfleto preparado pelo Sinttromar para dar esclarecimentos à categoria sobre o dissídio coletivo dos trabalhadores da TCCC e Cidade Verde. O panfleto começou a ser entregue na base nesta sexta (10).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × dois =